Não sei quantos por cento da moças brasileiras têm cabelos cacheados, mas certamente muuuitos. Eu sou uma delas.
Meu cabelo é muito cheio (muito mesmo), com fios grossos no topo e fios finos e sedosos na parte de dentro. Uma mistura maluca, que, se não cuidada, me transforma numa espécie de “bola de frizz” ambulante.
Acho que muitas cacheadas vivem insatisfeitas e em busca de um produto milagroso ou de alguma técnica especial que possa domar suas jubas. Eu, juro, smack smack, que tenho no banheiro uma verdadeira fortuna em produtos capilares. E não só Kerastases e Redkens. Também muita coisa milionária importada. Enfim, já gastei vários barões com produtos, cabelereiros, e, pior, gastei muito tempo procurando algo que me deixasse satisfeita com a cabeleira cármica que Deus me deu.
Claro que caí nestes contos do vigário, e fiz escovas progressivas (que com o tempo destruíram a saúde de meus fios), comprei pacotes de tratamentos “inovadores” em salões granfinos. Também fui escrava da escova e saía pras reuniões de trabalho com cara de ET, porque eu definitivamente fico bizarra de cabelo liso.
Este post  inaugura o assunto “Cachinhos de luxo”, e pretendo voltar ao tema conforme for descobrindo outros segredos .
Sim, porque  há uns 2 meses, decretei que eu iria modificar a palha de milho que meu cabelo havia se tornado. Palha de milho é demais, mas no Visconde de Sabugoza. Decidi que ia começar uma super pesquisa, que ia encontrar um guru, um mestre ou um papiro milenar que me revelaria “o caminho” pra fazer meu cabelo ficar saudável e bonito.
Dá-lhe google em inglês e não é que realmente existia o “Universo das Encaracoladas”???? Óbvio que a “Curlyland” ficava nos EUA. Isso é admirável nos americanos, os caras formam grupos de apoio pra tudo. Eu ri muito dos slogans e dos depoimentos das Curlies: “Porque você tem o direito de permanecer encaracolada!” ou “Descubra o poder de seus cachos!”. Prometo até fazer uma edição das frases mais engraçadas (dramáaaaaticas) que li. Mas, breguices à parte, fui nocauteada pela qualidade e quantidade de informações disponíveis. Um monte de dicas incríveis das quais eu nunca tinha ouvido falar. Vários especialistas e empresas alternativas dedicadas a salvar nossos cabelos (e fazer uma grana também, claro).
Bom, pra começo de conversa, a gente aqui no Brasil fala em “cabelo cacheado”, mas lá, com aquele grau de especialização incrível dos americanos, eles falam em diversas categorias deste tipo de cabelo. Suas madeixas podem ser tipo 2, 3 ou 4. E ainda há as subcategorias, designadas por letras, 2a, 2b, etc. Isso é muito legal porque produtos que funcionam para um 2a, podem ser um desastre para o 3c. Para cada tipo de cabelo, os cuidados, técnicas e produtos têm que ser específicos.
A fonte mais completa de informação que encontrei foi o  www.naturallycurly.com. É um enorme portal, ponto de encontro das cacheadas e, claro, está linkado com uma loja onde você pode adquirir produtos de empresas alternativas e apetrechos baphônicos (fazem entregas no Brasil).
Pesquisei muito neste site e vou listar abaixo as novidades quentes que descobri e que me fizeram ficar super contente com meus cachinhos:
1) Shampoo livre de sulfato

Não caiam em conversas de vendedor sobre shampoo sem sal. O shampoo que não destrói a delicada estrutura do cabelo cacheado é o que não contém lauril sulfato de sódio (SLS) ou lauril éter sulfato de sódio (SLES). Estes detergentes, responsáveis por promover uma limpeza agressiva (aquele super espumão), detonam nossos fios e lá se vão os cachos. Infelizmente, no Brasil eu só encontrei 1 produto “Sulfate Free”. É da marca “Éh Cosméticos”, mas não achei bom. Deixou meu cabelo ressecado.
Para as cacheadas da “Curlyland” lavar o cabelo com shampoo normal está totalmente fora de cogitação. E digo mais, ainda com o shampoo super suave (o “cleansing cream sulfate free”) a lavagem diária está proibida. Sabe o que elas fazem? Um lance que chamam de “Co-Washing”. Como quem tem cabelo encaracolado precisa molhar os fios para poder estilizar, o conselho das especialistas é entrar no chuveiro, passar muita água no cabelo, condicionador (sem silicone, veja abaixo), e enxaguar. Acreditam? Necas de shampoo.

Nada de Lauril Sulfato!

Outra atitude que adotam como regra é não usar nada que tenha silicones “safados”. Estes silicones são um engodo. Eles ressecam nosso cabelo e não são solúveis em água. A lista está aqui. Tudo que se usa no cabelo deve ser solúvel em água. O silicone não hidrata o cabelo, apenas forma uma película de gordura, é um cosmético. Mas, como as encaracoladas espertas de lá não passam nossos shampoos destruidores, tampouco usam substâncias que não saiam com água, sacaram? Por isso que a coisa toda funciona.

Toalhas de malha 100% algodão

2) Não secar seus cachos com toalhas!!!!!
Isso foi uma descoberta sensacional pra mim. Comprei as toalhinhas da foto (são de malha macia, 100% algodão). A diferença é que a toalha normal absorve muita água e estas permitem que você modele (amassando) o cabelo sem secá-lo demais. O resultado são cachinhos mais definidos e com muito menos frizz. O mais bacana: se você não pode comprar estas toalhinhas de malha, basta usar uma blusa antiga, você pode até cortá-la em forma de tubo. Dá no mesmo! Este vídeo ensina direitinho a secar o cabelo com elas. Não deixem de assistir!
3) Hidratação
Cabelo encaracolado precisa de muita hidratação pra minimizar o frizz. Ainda mais pra quem mora em clima úmido (hello, cariocas!). As Curlies americanas sabem disso e tem lá os produtos powerfull delas pra usar 1 vez por semana. São cremes de hidratação profunda, livres dos silicones cafajestes e de outras porcarias que fazem o cabelo brilhar na hora mas depois a peruca frizzada volta que nem um bumerangue.

Estes são o que estou usando no momento:
Jessiecurl Weekly Deep Conditioning Treatment – ganhou o prêmio de melhor produto de 2009. Pode ser usado como leave-in também.
Superbly Smoothing Argan Hair Pak – totalmente livre de sulfatos, silicone e parabenos. Aliás a Kiehl’s tem muitos produtos de qualidade excepcional. Este tem óleo de Argan e vende na loja brasileira Sack’s.

 

 

 


Elas têm também uma espécie de serviço meteorológico capilar. Você digita seu cep (só dos EUA, claro) e recebe a previsão do tempo pra sua região e uma cartilha do que deve fazer pra fugir do furacão de Frizz!!!!! Não é hilário?


4) Produto certo para estilizar os cachinhos
Finalizador pra mim sempre foi um drama porque eu odeio sentir que tem “algo” no meu cabelo. Não sei se me explico. Mas odeio leave-ins, mousses, gels, etc que mudam a textura do cabelo. Você toca e lembra: “Passei produto no cabelo”. Aliás, detesto todos os cosméticos que deixam rastro. Bases para pele por exemplo. Arghhh das que te deixam sentindo: “Oi, passei base”. Pelo que li nos sites americanos, assim como eu, há um contingente de cacheadas que deseja arduamente que o cabelo fique com textura natural.
No meu caso, que tenho cachos do tipo 2c e 3c (muuuuito volume), é essencial que eu finalize com gel. Mas eu sempre achei gel uma coisa eca, que deixava o cabelo crocante, duro ou com um brilho molhado muito cafoninha. Mas, lá nos estates, os caras resolveram o lance.Tem gel que deixa o cabelo fofinho e solto. Yes, we can. Diminui o volume, detona o frizz, forma cachos e dá uma fixada sem perder o toque natural. Olha aí os dois que me deixaram de queixo caído:

Este vídeo também é muito interessante. É a Jess ensinando todas as etapas dos cuidados com os cabelos cacheados.

Nova heroína da Pixar é Curlie!!

Eu estou feliz da vida com meus cachinhos desde que adotei a nova rotina de cuidados (trabalhoooosa!). Espero que vocês gostem do post e, por favor, se tiverem mais informações e dicas, comentem! Todas as encaracoladas vão agradecer!!!!
Beijos pra vcs, Mirna Ferraz.
. Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.